Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Professor do Campus Muzambinho recebe bolsa produtividade em pesquisa do CNPq
Início do conteúdo da página

Professor do Campus Muzambinho recebe bolsa produtividade em pesquisa do CNPq

Publicado: Quinta, 11 de Fevereiro de 2021, 15h35 | Última atualização em Quinta, 11 de Fevereiro de 2021, 15h43

3O professor Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido, lotado no IFSULDEMINAS - Campus Muzambinho - foi contemplado com bolsa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) na modalidade produtividade em pesquisa, cuja duração é de 24 meses. O projeto submetido pelo docente é intitulado “Desenvolvimento de um sistema de alerta fitossanitário para manejo da Cercosporiose do café por aprendizagem de máquina”.

O CNPq lança edital anualmente para que pesquisadores possam submeter suas propostas, e as chamadas visam à valorização e incentivo da produção científica, tecnológica e inovação da qualidade, prezando pela seleção de projetos de pesquisa que sigam padrões rigorosos e método científico.

De acordo com o professor Lucas, “a produção científica é de extrema importância para o desenvolvimento de um país. A pesquisa busca contrapor o senso comum, formular teorias, identificar correlação entre causas e efeitos. É buscar respostas para problemas que afetam a relação do homem com o seu meio”.

O projeto contemplado pela bolsa aborda o manejo da Cercosporiose do café, popularmente conhecida como olho pardo, mancha circular, mancha parda ou olho de pombo. A importância da produção cafeeira no Brasil e a inerente complexidade do sistema agrícola levou o professor a desenvolver o projeto. Ele explica que o objetivo é “desenvolver um modelo de taxa de infecção por cercosporiose em função do clima usando algoritmos de aprendizagem de máquina, simples de entender, fácil de usar e preciso, que possa ser útil para desenvolver um sistema de alerta de previsão da cercosporiose para racionalizar o controle químico da doença nas regiões produtoras do Brasil”. O projeto prevê bolsas para estudantes, estimulando assim a entrada de novas pessoas a atuar em pesquisas.1 1

2 1Os resultados esperados visam ao desenvolvimento de modelos de aprendizagem de máquina acurados para previsão de cercosporiose do café com aproximadamente 10 dias de antecedência do aparecimento da doença. O projeto de pesquisa trata do café arábica em três níveis espaciais - Nacional, Estadual e Regional e busca, com os mapas de alertas fitossanitários com os índices de cercosporiose, auxiliar os produtores na tomada de decisão e evitar aplicação de agroquímicos na lavoura sem necessidade.

O professor relatou também a crescente preocupação mundial com relação aos resíduos agroquímicos nos alimentos, o que, consequentemente, influencia a comercialização de determinados produtos agrícolas. “Com o crescente aumento dos programas de certificação no cafeeiro, a preocupação com o meio ambiente tem aumentado. Acredita-se que a utilização dos sistemas de alertas fitossanitários levará a uma redução da aplicação de agroquímicos, como inseticidas, fungicidas, e mais empresas/fazendas poderão ser certificadas”.

Texto: ASCOM
Fotos: cedidas pelo professor Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido

registrado em:
Fim do conteúdo da página